Fiergs elogia plano do governo, mas pede retorno de atividades em abril

A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) comentou o novo plano do Executivo estadual para a retomada das atividades em todo o território gaúcho. No projeto do chamado “distanciamento social controlado”, as regiões do Estado seriam avaliadas de acordo com o nível de transmissão e a capacidade do sistema de saúde em cada uma delas. O presidente da Fiergs ressaltou que o mapa apresentado pelo governo é amparado por dados científicos.

Gilberto Petry elogiou o Piratini, classificando como “coerente” o plano detalhado por Eduardo Leite. As declarações foram feitas em entrevista ao programa Bom Dia, da Rádio Guaíba, na manhã desta quarta-feira (22). “O governador, ao meu ver, tem se comportado de uma maneira bastante coerente”, observou. “O trabalho em que está se baseando, ele [Leite] apresentou longamente para todos e, especialmente, para nós, e mostra uma coerência com aquilo que está sendo feito. Então ele está num caminho, vamos dizer assim, direitinho”, completou o dirigente.

Data do retorno

A partir do enquadramento das regiões do Estado em níveis de risco, a economia poderia se restabelecer a partir de maio. No entanto, para o presidente da Fiergs, a indústria poderia voltar a operar ainda neste mês de abril. “Nada melhor do que fazer isso gradualmente. Eu sugeria a data de 27, na semana que vem”, propôs Petry. “Para este movimento dar tempo do pequeno comerciante fazer o que ele necessita, porque o cara não tem mais caixa, não tem mais dinheiro”, explicou o representante do setor.

Setores da economia gaúcha poderão enviar ideias e sugestões sobre o plano de retomada à administração estadual até a próxima semana. A Universidade Federal de Pelotas, cujos estudos sustentaram algumas das medidas tomadas pelo governo gaúcho até então, criticou o relaxamento nas normas de controle. A mesma posição foi compartilhada pela Famurs, entidade que representa os prefeitos do Estado.

Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.