Líquen de coloração rosa é encontrado no Parque Imperatriz Leopoldina

Um líquen de coloração rosa foi encontrado pelo biólogo Eduardo Rossetto chefe do Departamento do Jardim Botânico do Parque Imperatriz Leopoldina na última semana. Segundo o biólogo, a ocorrência deste ser vivo em uma área próxima ao asfalto e do centro da cidade onde há grande movimentação não é comum. De acordo com Rossetto o líquen é um bioindicador de pureza do ar. “Este que encontramos indica ares extremamente puros. É pouco comum em áreas centrais, só tinha visto em áreas de preservação distantes dos centros urbanos”, salientou. Rossetto explicou que os líquens são seres vivos complexos, constituídos por um fungo e uma alga e solicitou ajuda de especialistas para identificar o exemplar encontrado no parque. O biólogo reconheceu o líquen em uma das árvores do parque que fica no pomar próximo ao Viveiro.

A secretária-adjunta da Semmam, Helena Cardoso, destaca a importância do parque para a qualidade de vida e convida a comunidade para desfrutar deste lugar: “O parque é aberto para visitação, onde as pessoas podem ver a diversidade da flora e da fauna. É um espaço agradável para convívio com a natureza e também voltado para a pesquisa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.