Projeto Litorâneas lança sete videodanças inéditos

Uma senhora que realiza sua coreografia com ajuda de muletas. Uma bailarina negra, formada na periferia e que não abandonou a dança mesmo depois de ser mãe. Sexagenária professora que cultiva seu bailar cigano. Jovem performance negra que atualiza sua ancestralidade com contornos urbanos. Bailarinas com mais de quarenta anos que seguem encantando com sua técnica de balé, de jazz e de contemporâneo. Uma artista trans que dá corpo à sua dança. Foi compondo esse mosaico de identidades e culturas plurais que o projeto LITORÂNEAS – femininos possíveis em dança produziu uma série inédita de sete vídeos que poderão ser conferidos em estreias diárias de 1 a 7 de setembro, às 20h, no YouTube do NIDI – Núcleo Imagem e Dança de Imbé. O público poderá ainda participar também de um debate com a equipe no dia 11 de setembro pelo facebook do NIDI, às 17h.
Em cada vídeo o projeto abordou o universo feminino na sua diversidade através da dança em cenários do litoral norte. Dunas, mar, lagoas, cachoeiras, morros, mata nativa. A diversidade ambiental e geográfica da região foi o cenário para essas artistas gaúchas para desbravar o litoral e traduzirem suas histórias inscritas no corpo e emolduradas pela natureza. As filmagens das videodanças iniciaram em junho em e tiveram locações em município como Imbé, Tramandaí, Cidreira, Maquiné, Santo Antônio da Patrulha, entre outros. O elenco contou com as bailarinas Renata Guimarães, Syl Rodrigues, Cora Ferraz, Vanessa Rodrigues, Denise Brose, Tati Missel e Elena Trindade, além da participação especial de Mariana Rocha e Agnes Santine.

“Temos um imaginário e uma produção de dança no qual o corpo que mais aparece em cena é o da mulher jovem, a bailarina leve e esguia. Sentimos a necessidade de abrir espaço para outras identidades que escapem de uma padronização de corpos que ainda impera de muitas formas na dança”, enfatiza o diretor do projeto Marcelo Cabrera. “Para isso, cada vídeo buscou inspiração nos diversos arquétipos femininos como a mãe, a guerreira, a anciã, a feiticeira. As criações buscaram referências a partir daí em mitos como de Afrodite, Iemanjá, Perséfone, Nanã, Deméter, Oxum e Artémis”, destaca coreógrafo e pesquisador Airton Tomazzoni, que fez consultoria artística para o projeto. Já Tati Missel, diretora coreográfica que reside em Imbé acrescenta que: “outro aspecto importante foi de fomentar a cadeia produtiva do litoral com artistas e técnicos que puderem integrar pela primeira vez uma produção audiovisual de dança e com isso podendo qualificar a produção na região”.
O projeto teve a direção de Marcelo Cabrera, a direção coreográfica é de Tati Missel, consultoria artística voluntária de Airton Tomazzoni e produção de Jane Carvalho da RRPP Even. As filmagens, direção de fotografia e edição de Doug Moura e Marcus Godoy, acessibilidade em LIBRAS Bibiana Belzanero Litorâneas foi idealizado pelo NIDI – Núcleo Imagem e Dança de Imbé, que tem como fundadores e diretores Marcelo Cabrera, Airton Tomazzoni e Tati Missel, e foi contemplado no Edital de Criação e Formação Diversidades das Culturas com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20. E contou com apoio de Sorveteria e Cafeteria Ponto de Encontro, Restaurante Pouso Novo e Casa DaColonia Alimentos Naturais.
O projeto além da produção das obras inéditas desenvolveu programou uma série de atividades formativas como as oficinas dança para câmera; imagem, corpo e tecnologia; diversidade cultural, gênero e sexualidade. As oficinas ultrapassaram o limite de inscrições. Além, disso o projeto ainda realiza três diálogos culturais: o feminino em questão – corpos e diversidade na dança, entre artistas, professores universitários e alunos/as em parceria com cursos de graduação em dança da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Todas essas ações formativas são gratuitas e contam com tradução em LIBRAS.

Os vídeos estar disponível em https://www.youtube.com/channel/UCDPuz63uDCJXvAKkFCqQRCw
O debate poderá ser acompanhado pelo link https://us06web.zoom.us/j/81497530477?pwd=STB0ZXNRNlJac0trYXFQOHB0WjQvZz09

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.